Active Pharmaceutica

0

Blog

Você sabe o que são medicamentos manipulados, quais seus diferenciais e benefícios?

Publicado em 11 de janeiro de 2022.

O medicamento manipulado – também conhecido como medicamento ou formulação magistral – trata-se de uma opção personalizada, preparada sob demanda para atender as necessidades específicas de determinado paciente. Mas quais as vantagens e diferenciais do medicamento manipulado em relação ao industrializado? Como é preparado e quem pode se beneficiar com seu uso? Saiba tudo isso nesta publicação.

Qual é a origem dos medicamentos manipulados?

Muito antes do advento das indústrias farmacêuticas, a manipulação de medicamentos estava restrita às farmácias magistrais – na época conhecidas como boticas. Neste período, as farmácias produziam desde os insumos até as formas farmacêuticas finais. Com o desenvolvimento das indústrias farmacêuticas, após a Segunda Guerra Mundial, a farmácia magistral passou por um período de declínio. Contudo, após alguns anos ficou evidente que a indústria não poderia atender as particularidades possibilitadas pelas farmácias de manipulação. Desta forma, na década de 1970, aliando as tecnologias desenvolvidas na indústria com a personalização – marca registrada das farmácias magistrais –, o medicamento manipulado ganhou novamente destaque no cenário farmacêutico, e até hoje figura como uma opção única para atender as singularidades de cada paciente. 1

Como o medicamento magistral é preparado?

O medicamento magistral pode ser destinado ao uso humano ou veterinário, atendendo as necessidades únicas de cada paciente. Cada formulação é personalizada e preparada de acordo com a prescrição, sendo que todo o fluxo de manipulação deve obedecer a padrões e critérios pré-estabelecidos pela farmácia, de acordo com a legislação vigente. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) preconiza que sejam seguidas as boas práticas de manipulação de preparações magistrais e oficinais, descritas na RDC nº 67, de 8 de outubro de 2007 (acesse a RDC completa aqui). 2

 De maneira simplificada, a manipulação de um medicamento obedece ao seguinte fluxo:

  1. Recebimento da matéria-prima (ativos e excipientes);
  2. Realização de testes de controle de qualidade (CQ) da matéria-prima;
  3. Pesagem dos componentes da fórmula;
  4. Manipulação da forma farmacêutica desejada;
  5. Controle de qualidade do produto final;
  6. Envase/embalagem;
  7. Dispensação.

Fluxo de manipulação do medicamento na farmácia magistral. Adaptado de www.shutterstock.com, 2021.

 

Qual a diferença entre o medicamento industrializado e o medicamento manipulado?

Medicamentos industrializados Medicamentos manipulados
Produzidos nas indústrias farmacêuticas, em grande escala, utilizando equipamentos que têm capacidade para fabricar lotes de até milhares de unidades. Planejados para atender necessidades gerais da população. São manipulados especialmente para atender a uma prescrição de um paciente específico e em quantidade suficiente para às necessidades individuais de tratamento.
Apresentam formas farmacêuticas, dosagens ou concentrações fixas e padronizadas, de modo a serem utilizados por um grande número de pacientes. São manipulados em formas farmacêuticas, dosagem ou concentração específica para cada paciente, sendo, portanto, personalizado para cada condição.
Acondicionados em embalagens padronizadas. Acondicionados em embalagens com os dados de cada paciente.
Fiscalizado pela Agencia Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) 3,4


Quem pode se beneficiar do uso de medicamentos manipulados?

Pessoas de todas as idades, assim como animais podem fazer o uso de medicamentos manipulados. Em qualquer um dos casos, algumas situações podem ser particularmente beneficiadas pelo uso de medicamentos magistrais.

  • Pacientes que apresentam algum tipo de alergia a componentes da formulação (tanto ativos como os excipientes);
  • Quem apresenta dificuldade de deglutição ou de ingerir algumas formas farmacêuticas, por exemplo, idosos ou crianças;
  • Quem apresenta necessidade de ajuste de dose;
  • Pacientes como crianças ou pets, que necessitam de um medicamento mais palatável e atrativo;
  • Quando há necessidade de associar um ou mais ativos que não são disponíveis comercialmente;
  • Quem procura melhor custo-benefício, visto que a formulação é produzia de acordo com a duração do tratamento.

Vale ressaltar que além da formulação magistral ser personalizada, a atenção farmacêutica durante sua dispensação ao paciente também é diferenciada, indo muito além da simples entrega deste medicamento. Uma vez que as formas farmacêuticas e ativos utilizados no preparo de medicamentos manipulados são diferenciais importantes da farmácia magistral, é essencial que o paciente receba as orientações necessárias para um tratamento de sucesso.3,5

 

Quais as formas farmacêuticas possíveis para medicamentos manipulados?

Nos medicamentos industrializados é comum que um fármaco seja incorporado em uma única forma farmacêutica. Já o medicamento magistral permite a flexibilidade de incorporar o mesmo fármaco em diferentes formas farmacêuticas. Além disso, na indústria as formas farmacêuticas disponibilizadas geralmente são aquelas de melhor custo-benefício para produção e distribuição em larga escala, e as mais aceitas pela população em geral – principalmente comprimidos, cápsulas, xaropes, soluções orais e cremes. Já na farmácia de manipulação, um mesmo fármaco pode ser incorporado em uma variedade de outras formas farmacêuticas, que podem ser elaboradas visando possibilitar ou facilitar a aderência do paciente ao tratamento. Além das formas farmacêuticas, produzidas pela indústria, a farmácia magistral também disponibiliza:

  • Cápsulas com diferentes revestimentos, incluindo gelatinosas, gastroresistentes, e sublingual;
  • Sachês;
  • Soluções orais hidroalcoólicas, lipofílicas, entre outras;
  • Gomas;
  • Chocolates;
  • Géis;
  • Séruns.

Além das citadas acima, tantas outras formas farmacêuticas podem ser preparadas com as mais diferentes adaptações possíveis, como alterações de sabor, coloração e aroma. 6

Quais ativos podem ser empregados no preparo de medicamentos manipulados?

Todo e qualquer fármaco pode ser preparado na farmácia magistral, desde que esta disponha dos insumos e utensílios necessários para preparar a forma farmacêutica compatível com tal substância. Geralmente a indústria utiliza insumos farmacêuticos ativos (IFAs) sintéticos, enquanto as farmácias magistrais podem também utilizar nas formulações, desde que sob demanda de cada prescrição, inúmeros insumos de origem natural, tal como extratos vegetais. Contudo, cada tipo de insumo possui suas particularidades quanto à aplicabilidade e quanto às normas a serem seguidas para a manipulação. A seguir, confira a descrição das categorias de insumos e suas respectivas características:

  • Aminoácidos: utilizados principalmente em formulações com o objetivo de suplementar esses nutrientes;
  • Dermocosméticos: ativos utilizados no preparo de formulações de uso tópico, que contribuem para a melhora de diferentes aspectos da pele, bem como auxiliam na prevenção e/ou tratamento condições dermatológicas (como acne, sinais de envelhecimento, hiperpigmentação e flacidez);
  • Enzimas: são proteínas de ocorrência natural utilizadas para facilitar diferentes reações bioquímicas que ocorrem no organismo, contribuindo para o manejo de inúmeras condições clínicas;
  • Farmacêuticos: substâncias químicas ativas que apresentam seus efeitos terapêuticos bem caracterizados, utilizadas apenas mediante prescrição médica;
  • Extratos vegetais: obtidos de plantas medicinais por diferentes processos de extração, podendo ser padronizados em teor de marcadores bioativos;
  • Nutracêuticos: compostos bioativos encontrados em alimentos e que podem promover benefícios à saúde e diminuir o risco de desenvolvimento de doenças;
  • Hormônios: substâncias químicas produzidas naturalmente por uma célula ou um grupo de células especializadas (conhecidas como glândulas), que atuam regulando inúmeras funções no organismo. São geralmente prescritos para repor tais substâncias em situações de deficiência. Para a manipulação destes insumos, as farmácias devem se adequar ao Regulamento Técnico e Anexos I e III da RDC 67/2007;
  • Probióticos: microrganismos vivos que, quando administrados em quantidades adequadas, conferem benefícios à saúde – tanto no tratamento como na prevenção de doenças do hospedeiro;
  • Paraprobióticos: células ou fragmentos celulares de microrganismos probióticos não viáveis, inativadas através de diferentes processos, que quando administradas podem conferir benefícios à saúde – tanto no tratamento como na prevenção de doenças do hospedeiro;
  • Vitaminas e minerais: são micronutrientes essenciais para o funcionamento adequado do organismo e para a manutenção da saúde, utilizados quando há necessidade de reposição ou manutenção dos níveis de tais substâncias;
  • Cápsulas oleosas: Ativos de caráter lipofílico, já encapsulados, comercializados a granel.

 

As informações fornecidas neste blog destinam-se ao conhecimento geral e não devem ser um substituto para a orientação de um profissional médico ou tratamento de condições médicas específicas. As informações aqui apresentadas não têm o objetivo de diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença.

Prescritores e farmacêuticos que desejarem obter mais informações sobre os nossos insumos podem entrar em contato com o nosso SAC por meio do e-mail sac@activepharmaceutica.com.br ou pelo 0800 001 1313.

Será um prazer atendê-los!

Gostou do conteúdo?

https://www.activepharmaceutica.com.br/images/496095183.png

 Siga nosso Instagram e acompanhe outros assuntos: @activepharmaceutica

 

Confira mais